Author Archives: kleinermota

About kleinermota

Bacharel em Sistemas de Informação, Pós Graduado em Gestão de Projetos, DBA SQL Server, Gestor de TI da Organização Arnon de Mello e Diretor de Tecnologia da TV Mar.

O que é metaverso?
   18 de maio de 2022   │     8:04  │  0

Metaverso é um conceito que remete a uma realidade paralela em um mundo virtual. Nele, é possível ter um avatar e efetuar diversas atividades, como comprar em lojas, ir a shows e interagir com outras pessoas. Tudo se baseia na ideia de realidade virtual.

O tema se tornou popular recentemente quando o Facebook anunciou a mudança de seu nome para Meta, indicando a intenção de construir seu próprio metaverso.

Ou seja, um metaverso é um espaço virtual no qual os participantes têm a oportunidade de ter e compartilhar experiências diferentes.

No caso da Meta (antigo Facebook), existem planos de integrar as outras soluções da empresa, como o WhatsApp.

Para Zuckerberg, não faz sentido alguém estar em seu metaverso e precisar sair para responder a uma mensagem do app. Deve existir a possibilidade de fazer tudo em um único ambiente.

Como surgiu esse conceito?

A ideia não é nova. A primeira vez que o termo Metaverso foi usado data de 1992, quando da publicação do livro Snow Cash do autor Neal Stephenson.

A história gira em torno da possibilidade que as pessoas têm de “fugir” para um universo paralelo diferente de sua realidade atual. Ou seja, elas poderiam adentrar um metaverso e se ausentar da vida cotidiana.

Posteriormente, logo que a internet se popularizou, algumas tentativas foram feitas na intenção de promover algum tipo de metaverso.

O jogo Second Life é um exemplo, mas acabou não emplacando pelas limitações tecnológicas da década de 2000.

Como funciona um Metaverso?

A ideia de metaverso é participar de um mundo virtual. Para que isso seja possível, é preciso ter um avatar e acessar o ambiente.

Isso é feito usando um óculos de realidade virtual. Já os detalhes de acesso dependerão de qual metaverso está sendo acessado no momento.

De forma geral, a proposta é que seja possível fazer quase tudo em um ambiente como esses. Ir a um cinema, encontrar com outras pessoas, comprar um livro e até mesmo emprestá-lo posteriormente.

E isso tudo ocorre com a transação de valores que realmente tem preço no mundo real. Dentro de um metaverso, as operações precisam ser feitas utilizando alguma criptomoeda.

É possível perceber que um metaverso permite a interação de pessoas mesmo que elas estejam separadas por grandes distâncias físicas. E isso possibilita o desenvolvimento de uma série de atividades.

Globo usa rede 5G da Claro para transmitir o Carnaval de São Paulo
   3 de maio de 2022   │     9:01  │  0

A Claro, a Globo e a Ericsson utilizaram 5G em ondas milimétricas no Carnaval de São Paulo deste ano. O desfile do Grupo Especial contou com um cinegrafista em meio aos passistas, transmitindo as imagens captadas em tempo real e em alta resolução.

Ele utilizou uma “Mochilink” – uma mochila adaptada com módulo 5G para transmissão –, que acessava a rede 5G. Dessa forma, o profissional conseguiu conduzir as câmeras ao longo do percurso, sem ficar preso a cabos.

A faixa de frequência utilizada foi a de 26 GHz. A Claro foi uma das compradoras desse espectro no leilão 5G, realizado pela Anatel em novembro passado. A rede implantada usou 400 MHz arrematados no certame. Segundo a operadora, os testes feitos com a tecnologia demonstraram conexões com velocidades de transmissão acima de 2,5 Gbps.

“Com a rede de quinta geração, a Claro quer trazer ainda mais possibilidades e melhorar a experiência para as programadoras, além de aprimorar a forma como o telespectador se relaciona com as transmissões ao vivo. A aplicação da tecnologia é mais um passo da Claro na implantação do 5G no país”, comenta Paulo César Teixeira, CEO da Claro.

Para viabilizar a transmissão, primeira do tipo no país, a Claro instalou a rede 5G no Sambódromo do Anhembi em colaboração com a Ericsson, Casa Systems, Intelbras, Motorola e Qualcomm, que apoiaram as demonstrações com dispositivos (CPEs, APs Wi-Fi e Smartphones).

Como fazer o descarte correto de pilhas e baterias usadas?
   26 de abril de 2022   │     9:59  │  0

 

A desatenção no descarte de pilhas e baterias pode resultar em diversas complicações, desde contaminação do solo e da água até doenças que podem afetar quem entrar em contato com um local onde esses materiais foram descartados incorretamente.

A participação do comércio na questão é fundamental, oferecendo postos de coleta para as pilhas e baterias usadas. Vale lembrar que a legislação brasileira, por meio da resolução nº 257 do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente), determina que os fabricantes devem inserir, na rotulagem dos produtos, informações sobre o perigo do descarte incorreto das pilhas e baterias automotivas e de celular no lixo comum.

Além disso, a PNRS (Política Nacional de Resíduos Sólidos), sancionada em 2010, estabelece o incentivo à chamada logística reversa, que constitui em incentivos para que as empresas, governos e consumidores estejam comprometidos em viabilizar a coleta e restituição dos resíduos sólidos à empresas fabricantes, além da participação de cooperativas ou ou outras formas de associação de catadores de materiais recicláveis.

Conscientização
O perigo no descarte das pilhas e baterias está no fato de que, se descartadas incorretamente, elas podem ser amassadas, ou estourarem, deixando vazar o líquido tóxico de seus interiores. Essa substância se acumula na natureza e, por não ser biodegradável, – o que significa que ele não se decompõe – pode contaminar o solo.

Algumas práticas podem ajudar a aumentar a vida útil das pilhas. Uma delas é nunca guardá-las em locais expostos ao calor e à umidade. Isso evita o vazamento de seu conteúdo. Além disso, é preferível a utilização de pilhas e baterias recarregáveis, pois têm maior durabilidade. É importante também retirar as pilhas do equipamento se ele for permanecer muito tempo sem uso.

Como descartar?
A responsabilidade por recolher e encaminhar adequadamente as pilhas após o uso é do fabricante. Portanto, os materiais usados devem ser entregues aos estabelecimentos que comercializam ou às assistências técnicas autorizadas, para que eles repassem os resíduos aos fabricantes ou importadoras. As pilhas e baterias podem ser recicladas, reutilizadas, ou podem passar por algum tipo de tratamento que possibilite um descarte não nocivo ao meio ambiente.

Outro cuidado que deve ser tomado é com relação às pilhas “piratas”. De procedência duvidosa, elas podem conter materiais muito mais tóxicos do que as regularizadas. É importante também observar a rotulagem do produto. Veja se na embalagem consta que a pilha pode ser descartada no lixo comum. As pilhas do tipo alcalinas não contém metais pesados em sua composição. Já as pilhas comuns, como as recarregáveis, possuem mercúrio, cádmio e chumbo, e devem ser devolvidas ao fabricante.

Telecom cria fundo de R$ 320 milhões para investir em startups
   12 de abril de 2022   │     8:06  │  0

A Vivo anunciou ontem a criação do Vivo Ventures, fundo CVC (Corporate Venture Capital) de R$ 320 milhões para investir em startups brasileiras com soluções inovadoras nas áreas de Entretenimento, Casa Inteligente, Marketplace, Saúde, Finanças e Educação, setores-chave para o posicionamento da Vivo como hub digital. Ao longo dos próximos cinco anos, o fundo buscará entre 12 e 20 startups em estágio de “growth” (preferencialmente rodadas séries A ou B), com investimento médio de R$20 milhões, podendo ter até 20% de participação nas investidas.

“O Vivo Ventures vem para acelerar o nosso posicionamento como hub digital, pois é uma iniciativa que nos aproxima ainda mais do ecossistema de inovação aberta, possibilitando investimentos e parcerias com startups para que possamos oferecer ainda mais benefícios e serviços inovadores para nossos clientes”, afirma Rodrigo Gruner, diretor de Inovação e Novos Negócios da Vivo. “É um caminho natural, apoiado no nosso propósito de Digitalizar para Aproximar, que faz com que a inovação esteja no nosso DNA”, completa.

Com o anúncio da criação do CVC, a Vivo se coloca de forma ainda mais robusta como uma das grandes marcas incentivadoras do ecossistema de startups no país. Isso porque, desde 2012, a Wayra, hub de inovação aberta da Vivo, já investia no segmento. A Wayra seguirá investindo em startups preferencialmente em rodadas pré-seed e seed (estágio inicial e de estruturação de produto) e cujo negócio tenha relação com a estratégia da Vivo. Para se ter uma ideia, somente em 2021, foram gerados aproximadamente R$70 milhões em negócios entre a Vivo e as startups do portfólio da Wayra.

Declaração pré-preenchida do imposto de renda 2022 exige conta ouro ou prata no GOV.BR
   23 de março de 2022   │     6:21  │  0

A declaração pré-preenchida do Imposto de Renda da Pessoa Física 2022, ano-calendário 2021, já está disponível em todas as formas possíveis de preenchimento: on-line no e-CAC, pelo programa instalado no computador, pelo celular ou tablet com o app Meu Imposto de Renda.

Mas é preciso atentar para um detalhe: só quem tem conta ouro ou prata no GOV.BR, a plataforma de relacionamento do governo brasileiro com o cidadão, poderá utilizar esse serviço, que é gratuito. Caso o contribuinte ainda não tenha conta, basta acessar a plataforma pela web ou aplicativo GOV.BR. O prazo máximo para entregar o Imposto de Renda da Pessoa Física é o próximo dia 29 de abril.

Como ter a conta GOV.BR?

Caso o contribuinte ainda não tenha conta, basta acessar a plataforma pela web ou aplicativo GOV.BR.

Como ter a conta prata

É preciso validação facial no aplicativo GOV.BR utilizando a biometria colhida no Departamento de Trânsito de sua Unidade Federativa (UF), caso tenha carteira de trânsito válida, OU validação bancária. Sete instituições financeiras do país já estão integradas à plataforma do governo: Banco do Brasil, Caixa, Sicoob, Bradesco, Santander, BRB e Banrisul. Todos os correntistas destas instituições podem entrar no GOV.BR acessando ‘Seu banco’.

Como acessar a validação pelo seu banco

1. Acesse o link: acesso.gov.br

2. Em ‘Outras opções de identificação’ vá até a opção: ‘Seu banco’

3. Ao abrir a tela, clique no banco onde tem conta bancária

Nem a plataforma GOV.BR tem acesso a dados bancários do cidadão, nem o banco acessado recebe informações das pessoas que constam nos órgãos do governo federal. A integração das sete instituições financeiras ao GOV.BR serve para qualificar a conta do cidadão a partir da conferência de dados já existentes em ambas as partes, aumentando a segurança. Trata-se de uma facilidade e uma proteção ao cidadão.

Como ter a conta ouro

É preciso validação facial no aplicativo GOV.BR utilizando a biometria colhida pela Justiça Eleitoral, caso tenha feito. Essa é a forma gratuita. A outra alternativa é ter o certificado digital.

O que vai constar na Declaração Pré-preenchida

Informações relativas a rendimentos, deduções, bens e direitos e dívidas e ônus reais e que são alimentadas diretamente no Programas Geradores de Declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física 2022, sem a necessidade de digitação. Obs.: É responsabilidade do contribuinte a verificação da correção de todos os dados pré-preenchidos na Declaração, devendo realizar as alterações, inclusões e exclusões das informações necessárias, se for o caso.

 

Fonte: Gov.br

O que são os níveis da conta gov.br?
   20 de março de 2022   │     6:20  │  0

A conta gov.br possui três níveis: ouro, prata e bronze.

Os três níveis da conta gov.br refletem a forma como ela é criada ou validada e diferenciam algumas características da conta quanto aos aspectos:

  • grau de segurança no processo de validação dos dados do usuário ao criar a conta gov.br, ou seja, quais dados estão sendo validados e em quais bases de dados;
  • os tipos de serviços públicos digitais que podem ser acessados; e
  • as transações digitais que podem ser realizadas com a conta gov.br.

Dessa forma, quanto maior a segurança da validação dos dados do usuário, em bases da Justiça Eleitoral ou via certificado digital, por exemplo, maior o nível da conta.

Como aumentar o nível da sua conta gov.br?

B R O N Z E

Se você seguiu um dos passos abaixo, a sua conta gov.br foi criada no nível bronze.
Você pode criar a sua conta gov.br por aqui.

Ativo7.png

Cadastro via formulário on-line para validação dos seus dados na Receita Federal

Ativo8.png

Cadastro via formulário on-line para validação dos seus dados no INSS

Ativo9.png

Cadastro via atendimento presencial nas Agências do INSS

Ativo 17.png

Validação dos seus dados via atendimento presencial nos postos da Senatran (Secretaria Nacional de Trânsito)

P R A T A

Para aumentar o nível da sua conta gov.br de bronze para prata, você pode utilizar o aplicativo gov.br e seguir as orientações por lá, e pode também logar na sua conta gov.br e aumentar o seu nível em “Selos de Confiabilidade“.

Ativo 18.png

Reconhecimento facial pelo aplicativo gov.br para conferência da sua foto nas bases da Carteira de Habilitação (CNH)

Ativo5.png

Validação dos seus dados via internet banking de um banco credenciado

 Atenção: habilite em seu home banking o serviço de envio de mensagens do banco para seu celular, assim você recebe o código que será enviado.

Ativo5_1.png

Validação dos seus dados com usuário e senha do SIGEPE, se você for servidor público federal

O U R O

Para aumentar o nível da sua conta gov.br de bronze ou prata para o nível ouro, você pode utilizar o aplicativo gov.br e seguir as orientações por lá, e pode também logar na sua conta gov.br e aumentar o seu nível em “Selos de Confiabilidade“.

Ativo1.png

Reconhecimento facial pelo aplicativo gov.br para conferência da sua foto nas bases da Justiça Eleitoral (TSE)

Ativo2.png

Validação dos seus dados com Certificado Digital compatível com ICP-Brasil

Aumentar nível pelo aplicativo gov.br

  Você também pode aumentar o nível da sua conta por meio do aplicativo gov.br, clicando em “Aumentar nível” logo na tela de “Início” do aplicativo.

Compare os três níveis da conta gov.br

Confira a tabela comparativa abaixo para entender melhor o que você pode realizar com sua conta gov.br em cada um dos níveis.

B R O N Z E P R A T A O U R O
Uma única conta para acessar diversos serviços digitais icon_checked.png icon_checked.png icon_checked.png
Fazer o login em qualquer serviço gov.br sem precisar de senha, usando apenas a biometria do celular icon_checked.png icon_checked.png icon_checked.png
Gerenciar as autorizações de uso dos seus dados icon_checked.png icon_checked.png icon_checked.png
Realizar a prova de vida utilizando o reconhecimento facial icon_checked.png icon_checked.png icon_checked.png
Visualizar e compartilhar seus dados e documentos digitais icon_xis.png icon_checked.png icon_checked.png
Utilizar serviços gratuitos de assinatura eletrônica no site assinador.iti.br icon_xis.png icon_checked.png icon_checked.png
Acessar serviços públicos que exigem o maior grau de confiabilidade da conta gov.br icon_xis.png icon_checked.png icon_checked.png
Habilitar a autenticação em duas etapas para ter mais segurança no uso da  sua conta icon_xis.png icon_checked.png icon_checked.png
Nível máximo de segurança da conta gov.br nivel seguranca 1.png
Básico
nivel seguranca 2.png
Alto
nivel seguranca 3.png
Máximo
 Fonte: Gov.br

Apple inicia testes para desbloqueio via Face ID com máscara
   27 de janeiro de 2022   │     20:30  │  0

Foi lançada pela Apple nesta terça-feira (27) a primeira versão beta do iOS 15.4. Dentre outras novidades, está a possibilidade de desbloquear iPhones via Face ID, mesmo utilizando máscara. A novidade, embora seja considerada atrasada por alguns usuários, é a evolução da função de desbloquear o celular utilizando um Apple Watch.

Com base em testes, 9to5Mac cravou que o recurso Usar Face ID com Máscara está disponível (na versão de testes do iOS 15.4) somente para as linhas de iPhone 12 e 13 — deixando todos os outros iPhones que contam com Face ID de fora, como o X, o XS, o XS Max, XR, o 11, o 11 Pro e o 11 Pro Max.

Como o recurso usa “características únicas” ao redor dos olhos dos usuários para efetuar a autenticação, é provável que a tecnologia necessária para esse processo esteja disponível apenas nos iPhones mais recentes.

O que é WiFi 6?
   18 de dezembro de 2021   │     21:11  │  0

Você já deve ter visto em alguns dispositivos mais recentes a compatibilidade com o Wi-Fi 6. Mas o que isso significa? O Wi-Fi 6 é o padrão da próxima geração em tecnologia Wi-Fi. Também conhecido como “WiFi AX” ou “802.11ax WiFi”, é desenvolvido e aprimorado no atual padrão 802.11ac WiFi.

Em teoria, o Wi-Fi 6 é capaz de atingir uma largura de banda de 1,2 gigabits por fluxo, sendo capaz de entregar até 8 fluxos por dispositivo. Para simplificar, basta dizer que o Wi-Fi 6 poderá fornecer, no mínimo, quatro vezes a largura de banda oferecida pelo Wi-Fi 5 — e possivelmente muito mais.

O novo padrão é projetado para operar dentro da realidade atual, com redes congestionadas, muita interferência e múltiplos aparelhos conectados. Para se ter uma ideia da revolução representada pelo Wi-Fi 6 em termos de velocidade, confira o quadro abaixo:

Evolução do Wi-Fi

802.11   taxa máxima de 2 MB/s
802.11 a   taxa de até 54 MB/s — foi pouco comercializada, uma vez que tinha custo elevado em relação ao padrão anterior
802.11 b   transmissão de 11 MB/s. — deixou de ser usada, pois operava na mesma frequência que outros aparelhos domésticos, o que gerava interferências
802.11 g   rede que unia as melhores características dos padrões anteriores, com frequências próximas a 2.4 GHz
802.11 n (Wi-Fi 4)   taxa de 2.4 GHz— atinge velocidade de até 600 MB/s
802.11 ac (Wi-Fi 5)   tecnologia utilizada atualmente — atinge velocidade de até 1.300 MB/s, e suporta até 4 dispositivos conectados, sem perda de qualidade.
802.11 ax (Wi-Fi 6)   nova geração de redes sem fio — é capaz de atingir velocidades de até 9,6 Gbps, e suportar ao menos 8 dispositivos conectados ao mesmo tempo.

Conclusão

Este novo padrão se baseia na premissa de que cada vez mais dispositivos estarão conectados a um único roteador, ou seja, computadores, celulares, tablets, consoles, televisores e outros aparelhos inteligentes. Por isso, o Wi-Fi 6 foi pensado para gerenciar melhor múltiplas conexões, criando menos gargalos, tornando seu uso mais eficiente em lugares públicos, em escritórios ou em ambientes domésticos.

 

Aprenda a obter o seu Certificado Nacional de Vacinação COVID-19
   16 de novembro de 2021   │     16:54  │  1

O que é?
O Certificado Nacional de Vacinação COVID-19 é um documento que comprova a vacinação do cidadão contra a COVID-19. O Ministério da Saúde disponibiliza, através do Conecte SUS Cidadão, a possibilidade de o cidadão visualizar, salvar e imprimir o seu certificado.

Os registros de vacinação são inseridos nos sistemas de informação ligados à Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS). Entre estes sistemas, destacamos: Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações/SI-PNI, Sistema e-SUS Atenção Primária à Saúde ou outros sistemas próprios, definidos pelos estados e municípios.

Esses dados são apresentados de forma automática no Conecte SUS, na Carteira de Vacinação Digital.

Após a conclusão do ciclo vacinal, o cidadão poderá emitir o Certificado Nacional de Vacinação COVID-19, no serviço “vacina” do aplicativo ou na versão web do Conecte SUS Cidadão.

Para o viajante: Apesar de não existir uma normativa internacional publicada, alguns países estão aceitando o Certificado Nacional de Vacinação contra COVID-19 como comprovante de vacinação.

Quem pode utilizar esse serviço?

Todos os cidadãos que tiveram o ciclo vacinal finalizado contra a COVID-19 e tiveram seu Registro de Imunobiológico Administrado enviado à Rede Nacional de Dados em Saúde.

Etapas para a realização deste serviço?

1. Tomar a dose integral da vacina (dependendo do imunizante – duas doses ou dose única) em um Centro de Imunização ou em uma Unidade Básica de Saúde.

Observação: O registro pode ser realizado por profissional em sistema de informação ou em papel. No último caso, há um processo de digitação, organizado pela Vigilância Epidemiológica local, que em alguns casos podem ou não ser realizado pelo vacinador.

Tempo de duração da etapa: Depende da vacina administrada. O intervalo do ciclo vacinal está disponível no Plano Nacional de Operacionalização da Vacina Contra a COVID-19.

2. Por meio do aplicativo Conecte SUS Cidadão (Android ou IOS) ou da versão web, acompanhar se o registro da vacina foi inserido no sistema de informação. Caso não apareça no sistema após 10 (dez) dias da data da vacinação, verificar se houve algum problema de digitação com a equipe do estabelecimento de saúde ou Secretarias estaduais ou municipais de saúde e certificar-se de que seus dados foram transmitidos à Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS) do Ministério da Saúde.

Tempo estimado de espera: Até 10 dias.

3. Emissão do Certificado: No Conecte SUS Cidadão, buscar o ícone vacina >> apertar o ícone vacina >> ver o as doses administradas, abrir o detalhamento das doses administradas e clicar no botão emissão do certificado.

Tempo estimado de espera: 2 minutos

Observação: O Certificado Nacional de Vacinação contra a COVID -19 só será habilitado após a finalização do esquema vacinal. Dessa forma, o cidadão deverá estar atento ao número de doses necessárias para cada imunizante.

Como emitir o certificado pelo aplicativo do Conecte SUS Cidadão?

Siga os passos abaixo para baixar o app no smartphone, efetuar login pelo acesso único do governo federal gov.br e acessar os dados da campanha de vacinação até emitir o seu certificado. É preciso ter um número de CPF para acessar o serviço.

Fonte: Ministério da Saúde

Cuidado com golpes via SMS!
   8 de novembro de 2021   │     18:03  │  0

Ultimamente tem sido muito frequente o recebimento de mensagens de SMS tentando aplicar golpes. Geralmente essas mensagens oferecem resgate de pontos, prêmios ou fingem ser um alerta de segurança de algum banco avisando sobre uma transação suspeita. Normalmente a comunicação entre essas instituições e os usuários são estruturadas de uma forma diferente e não costuma incluir links ou solicitar informações pessoais ou senhas.

 

Desconfie sempre de mensagens similares aos exemplos a seguir e sempre que tiver alguma dúvida faça contato direto com a instituição que supostamente tentou entrar em contato.

 

Dicas de segurança:

 

Não clique em links

Essas mensagens costumam chegar com links solicitando atualização de dados, fazer um novo cadastro ou qualquer coisa do tipo. Mas, qualquer que seja a intenção da mensagem, a dica é não clique em links externos nem fazer download de arquivos anexos.

 

Não ligue para qualquer número

Outro detalhe comum nessas mensagens é que elas passam um número de telefone para você entrar em contato. Muitas pessoas acreditam que, por isso, a mensagem pode ser mesmo um pouco mais segura, mas não é o caso. Não ligue para números desconhecidos.

 

Nunca informe suas senhas

Sua senha é uma informação secreta e pessoal. Bancos e serviços em geral nunca vão pedir que você passe sua senha. Suspeite se você receber uma mensagem pedindo sua senha ou dados pessoais. Se você estiver em dúvida, entre em contato com seu banco.